dezembro 24, 2014

E porque é Natal...

Dizem que Natal é quando o "homem" quiser...

Para todos, festas felizes e uma mão cheia de amor no sapatinho de cada um!



dezembro 10, 2014

Ai Morfeu, Morfeu!...


A noite (ou o sono), é muito fértil e rica em imagens que nos surgem sabe-se lá de onde quando nos entregamos nos braços de Morfeu e esta última deixou-me um sorriso e uma interrogação.

Personagens: eu e a minha irmã. Ela a querer surpreender-me. Eu a deixar que ela fizesse algo no meu corpo. Ela não disse o que ia fazer e eu não perguntei. Estava de costas. Finalmente tomei consciência de que o propósito dela estava terminado e interroguei-me…Seria o que estava a pensar? Humm…eu nem gosto de tattoos de asas nas costas. E ela, sim, era mesmo isso. Um par de asas de anjo. E agora? Ficamos a olhar uma para a outra. Já não dava para voltar atrás. Eu a pensar que iria ficar com um par de asas para sempre, e ela que as marcou nas minhas costas com tanto carinho. Pronto, e agora? – Interrogávamo-nos!
E ela num repente (tão próprio dela!): - “Tu nem as vês, as outras pessoas é que as vêem!”

E fica a questão…
O que vêem os outros em mim que eu não vejo?


Fonte de Imagem: Google

novembro 18, 2014

A economia cá de casa...




Magia não se faz só com pozinhos de perlimpimpim e nos dias que correm, todos precisamos de ser verdadeiros magos (ou magas) no que toca à economia da casa. E como diz o ditado, “é no poupar que está o ganho”, aqui a formiguinha passou grande parte do dia de hoje na cozinha de volta das panelas e dos chuchus e a “armazenar” para o inverno. Sim, aqueles mesmos chuchus que colhemos no fim-de-semana aqui no nosso quintal e que depois de distribuirmos pela vizinhança e colegas do marido, ainda nos restaram muitos quilos.

Da colheita, parte é agora doce que descansa em frascos para consumo da casa e para distribuir pela família. Os restantes, cortei em cubos que distribuí por saquinhos de plástico, já com a quantidade certa para cada sopa. Usei dois frutos por saco. Vão dar um jeitão nos próximos meses para enriquecer as sopas e é menos uma coisa que terei que comprar. Bendita arca congeladora!

Estou a tentar reduzir o uso de sacos de plástico, mas por vezes dão jeito e esta é uma dessas situações. No final poderei sempre reutilizá-los para guardar e congelar outra coisa qualquer…quem sabe algum outro legume ou fruto de época.  ;)

novembro 16, 2014

O Domingo aqui por casa




Não, não é publicidade ao continente!

É tão simplesmente o resultado da colheita da nossa “pimpineleira”. Hoje, aqui por casa tratou-se de apanhar os frutos, dar-lhes destino e abrir espaço à passagem dos raios solares. Lá se foram os recantos e cantinhos acrescentados pelo gigantesco enleio e em compensação ganhamos em luz. Nós e as nossas verdinhas! 



Agradece a nespereira por finalmente se ver livre do peso bruto que carregava nos seus ramos, cansados e pouco clorofilados.
Agradecem as Marias pelo solzinho de Outono que lhes aquece as penas.
Repartem-se os frutos pela vizinhança e colegas de trabalho.

E eu, encho o congelador para as sopas dos próximos meses e a despensa com mais uns frascos de doce.









As três Marias!!
(a terceira por ser a mais tímida não quis posar para a foto)

 E enquanto isso, a Dona Joana e a Dona Mia dormiam refasteladas no meu cadeirão junto ao calor da lareira!


novembro 15, 2014

Doce de goiaba



Depois das pimpinelas foi a vez do doce de goiaba. Tratou-se de uma estreia para mim, por isso o passo-a-passo foi feito um pouco às “cegas” e na expectativa do que ia sair dali!...


Ingredientes
Goiabas
Açúcar amarelo (cerca de metade do peso dos frutos inteiros)
1 dl de água


Comecei por descascar os frutos aos quais retirei as sementes e cortei em pedaços pequenos. Reservei. No liquidificador juntei as cascas, as sementes e a água. Depois de tudo triturado, coei num passador para separar os caroços da "polpa" extra obtida. Numa panela coloquei esta polpa resultante das cascas e das sementes e os pedaços de fruta reservada anteriormente, ao que juntei o açúcar e deixei descansar até este derreter por completo. 

Desta vez não acrescentei um pau de canela e nem a casquinha de limão para não alterar o sabor natural do fruto. Foi intencional.



Ficou pronto quando fez estrada no fundo do tacho.
O resultado final surpreendeu-me. Ficou muito bom! (pena que as goiabas eram poucas e só deu para dois pequenos frascos). ;)




novembro 10, 2014

Doce de chuchu

 Na sequência do "post" anterior, aqui deixo a receita do meu doce de chuchu (ou pimpinela).

Ingredientes
- 3kg de polpa de chuchu
- açúcar (metade do peso da polpa) *
- pau de canela
- casquinha de limão (opcional)
- nozes partidas em pedaços pequenos

Depois de descascar os chuchus e retirar a semente (inteira de preferência e que se reserva para outra finalidade), ralei-os no robot de cozinha para ficarem em tiras como se faz com a cenoura para saladas. Coloquei a polpa na panela com o açúcar (usei amarelo) e o pau de canela e deixei em repouso umas horas para o açúcar derreter e se transformar numa calda. Para quem gostar do sabor  a limão, este é também o momento de o adicionar.

A cozedura é feita em lume brando. Leva tempo a fazer, mas o resultado final é ótimo! Vou mexendo e só quando faz estrada no fundo do tacho, é que está no ponto. Quanto às nozes (ou amêndoas), junto-as ao preparado a meio, quando o liquido já se evaporou em grande parte e já começa a ter consistência de doce.

* quanto ao açúcar, usei um pouco menos que a quantidade original, (ou seja, do 1,5 kg retirei cerca de 200 gr.), mas faço sempre isso em qualquer doce ou sobremesa.








A semente é esta "coisa" branquinha que aparece aqui na imagem. Retira-se a pele à volta e reserva-se o miolo, que se pode juntar a sopas de legumes e se come inteiro.

Estas sementinhas da tijela, foram comidas hoje ao jantar, num guisado!  ;)



novembro 06, 2014

Pimpinela ou chuchu?


Legume ou fruto?

Segundo consta, a sua origem é atribuída à América Central, no entanto para alguns historiadores esta planta já existia nas ilhas das Caraíbas aquando da descoberta da América pelos europeus.
História à parte, trata-se de um vegetal muito rico em nutrientes, nomeadamente potássio e vitaminas. É de fácil digestão e por ser muito rico em fibras e pobre em calorias, é ótimo para uma dieta saudável.
Pode cozinhar-se de variadas maneiras, mas pessoalmente, só utilizei ainda em sopas e doce (compota)…



Para minha surpresa (e de todos cá de casa!), o fruto que plantamos no ano passado, este ano expandiu-se de tal maneira, com tal rapidez, que cheguei a recear que tudo o mais desaparecesse à sua sombra e sob o seu peso. Os ramos, que nem tentáculos, foram crescendo e trepando por todo o lado fazendo do nosso pedacinho de quintal uma autêntica selva! Não é que eu não goste… O nosso pedaço de verde ganhou ainda mais encanto com os seus novos cantos e recantos. Mas sobreviverá a nespereira que desapareceu debaixo da trepadeira? E o limoeiro?



outubro 23, 2014

Sol em Escorpião




O Sol entrou hoje no signo de Escorpião, mais precisamente às 12h58 de Portugal e três horas a menos no Brasil.
Esta mudança de signo coincide também com a Lua Nova de Escorpião. Muita energia emocional anda no ar. Tal como acontece todos os meses, a Lua renasce e desta vez a incentivar a uma catarse purificadora dos nossos seres e das nossas vidas. Vénus também se encontra presente nesta bela e intensa conjugação a ativar ainda mais o lado sentimental desta lunação.

Para quem nasceu com o Sol em Escorpião conhece e sabe muito bem a que energias me refiro ali mais acima. Escorpião é profundo, analítico e incisivo e a sua força é como um vulcão ativo nas profundezas da terra sem contudo ter entrado em erupção.
Devido à sua forte intuição captam tudo ao seu redor e emocionais como são, isso vai gerando muita energia acumulada. Sim, porque com a influência de Marte (para muitos também Plutão), este é um autêntico gerador de energia, mas que contudo, por ser um signo dito passivo, não extravasa toda essa energia a todo o momento. Por isso, é tido como um signo ressentido e passional. Vai guardando e guardando… até que…
Quando estas energias são bem direcionadas, conseguem grandes feitos, mas mal aplicadas, é melhor que lhe saiam da frente!

Os “escorpiónicos” que não me levem a mal, mas aquela expressão “ter um ódio de morte” adequa-se aqui perfeitamente! No entanto, haverá algo mais interessante que descodificar um hipnótico olhar de Escorpião ou ir até às profundezas destes seres tão misteriosos e apaixonantes?

Elemento: Água
Género: Feminino
Modo: Fixo
Temperamento: fleumático
Planeta regente: Marte (Plutão em astrologia moderna)

Palavras-chave: Emoção, intensidade, intuição, determinação, secretismo.


Um feliz aniversário para quem nasceu sob este signo!

Imagem: fotógrafo Arkadiusz Branicki

agosto 15, 2014

A felicidade é o caminho

O dia foi passado entre pinceis e tintas e o nosso cantinho zen vai ganhando forma. Devagar mas vai. Não há pressas e como diz Mahatma Gandhi:

-“ Não há um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.”

E a execução deste projeto (by me and my love) dá-me imenso prazer. É felicidade pura!
Para mim, “artesanar”, sempre foi um autêntico anti-stress e aliar a bricolagem ao reaproveitamento de peças usadas e que muitas vezes teriam como fim o lixo, é tudo de bom.

Enquanto isso, o jardim ganhou mais duas habitantes novas, escolha do marido que passou a tarde a jardinar. E no final, que nem duas crianças, terminamos com um banho de quintal. À falta de jacuzzi ou piscina, banho de celha também serve! Fazer de pequenas coisas momentos únicos!…Há lá coisa melhor! ;)





agosto 02, 2014

Com as energias de Vénus em Caranguejo...



Em modo casamento… Hoje o dia por aqui é dedicado a Vénus, o planeta do amor e das coisas do coração. Toda ela é emoção e sensibilidade com Caranguejo a dar cor ao tema. A família acima de tudo. A família como pilar fundamental a uma vida e sociedade onde se quer estabilidade e segurança.

Seria um dia perfeito se não fosse o danado do Marte a fazer das suas logo pela manhã. Tanto estrebuchou nas águas pantanosas de Escorpião que lá se foi uma conduta de abastecimento de água da rede. E eu fui presenteada com um banho de água fria quase a conta-gotas, mas como a tropa manda desenrascar, voltei aos tempos de outrora e gota a gota tive um alguidar cheio para lavar a minha longa cabeleira. Meio de alguidar, meio de chuveiro o banho fez-se, fiquei bem acordada para iniciar o novo dia e a minha pele ainda saiu a ganhar. Abençoada falta de pressão que não deixou aquecer a água. A partir de hoje vou poupar muito no gás! :)

E a boda continua! 


julho 22, 2014

Pelas águas de Cancer...(Caranguejo)






A passo de caracol, (aliás de caranguejo!), e é assim que o blog tem andado…Veremos se com a entrada do Sol em Leão a coisa anda. Ainda nos restam umas horas de Sol Canceriano e não queria deixar passar sem escrever umas palavrinhas para os leitores do signo em questão.  

A par de Peixes e Escorpião, este é dos signos mais emocionais do zodíaco e isso deve-se ao elemento Água. A Lua empresta-lhe a tão característica oscilação de humores. A Lua é o planeta (neste caso, luminar), mais rápido de todos e por isso a sua influência no signo que rege, também é muito variável. Literalmente, é um signo de marés!
Há um lado de apego, seja à família, aos pertences, ao passado, às relações…Que não me interpretem mal, mas costumo dizer que o signo de Caranguejo é como pastilha elástica, quando gruda, é difícil de soltar. Mas não deixa de ser um signo maravilhoso com todas as suas nuances e acima de tudo, a sua facilidade de amar!

Elemento: Água
Género: Feminino
Modo: Cardinal
Temperamento: Fleumático
Planeta regente: Lua

Palavras chave: Emocional, intuitivo, protetor, sensível.


Créditos de imagem: Ilustrador Nazgrelle

maio 21, 2014

Gémeos


Conhecem aquela expressão de…“Ele tem bichos-carpinteiros!” ?
Adapta-se que nem uma luva aos nativos do signo de Gémeos!
É o mais adaptável, curioso e irrequieto de todos os signos do zodíaco. Dinâmico e muito social, está sempre a comunicar ou ocupado com algum interesse mental. Muda de assunto ou de sítio com enorme rapidez e a preguiça não faz parte do seu vocabulário. Numa festa, só perde para o Leão, quanto a ser o centro das atenções! Por ser tão eloquente e espirituoso, consegue ter sempre uma legião de fãs, ou ouvintes, à sua volta. Mesmo em idade avançada, estes nativos, mantêm um espirito jovial!

Este é o signo onde o Sol entrou hoje e vai permanecer ao longo de um mês.
Parabéns para todos os geminianos!

Elemento: Ar
Género: Masculino
Modo: Duplo
Temperamento: Sanguíneo
Planeta Regente: Mercúrio

Imagem: fonte


maio 05, 2014

...Em Estado de Graça








Hoje estou num dia de reflexão e a sentir-me abençoada pela vida! Sair à rua de braços ao léu e apanhar este sol de Primavera maravilhoso é tudo de bom. O meu astral agradece! Obrigada deuses pelas boas energias que me estão a enviar lá do alto, do centro da Terra, ou de onde quer que seja! Inicio este meu novo ciclo, serena, em paz e a saborear cada momento por mais simples que seja como uma dádiva. Saí à rua a distribuir e receber sorrisos. O poder que um simples sorriso tem!...Hoje está a ser um daqueles dias em que a lei da causa-efeito está fortemente perceptível!

Foi difícil controlar uma grande gargalhada à saída do supermercado, ao imaginar a cara da funcionária da caixa e do rapaz que estava atrás de mim na fila, se eu tivesse que mostrar o interior da minha mala de senhora, quando o alarme foi accionado. Vá lá que a funcionária não fez caso e eu continuei, mas estou mesmo a ver as caras de espanto se eu tivesse que despejar o conteúdo em cima da caixa! Literalmente, a enfermeira do centro de saúde, tinha-me enchido o saco. Encheu, mas de preservativos! E não é nada pequeno, quase que cabe lá meio mundo…Deve ter pensado que por estarmos na Primavera e com tantas mulheres em casa o melhor mesmo é prevenir.

Nem mesmo aquele momento quase dramático (eu disse quase!), em que um bebé minúsculo, recém-nascido, me caiu aos pés me tirou deste estado de graça em que hoje me encontro. Aquele breve instante em que me curvo para apanhar do chão a pequena trouxa, acabada de cair de um carrinho desesperadamente levado a subir os altos e desconfortáveis 2 degraus que separam o passeio publico, da entrada do cabeleireiro, ficou-me parado na memória. Perante um olhar de espanto e aflição de uma mãe, ergui as mãos e nelas aquele pequeno ser que se contorcia e choramingava baixinho, indefeso e ao mesmo tempo tão forte! Eu sabia que ele estava bem!

Voltei para casa energicamente recarregada e ainda tive como bónus, o Google a saudar-me com uns belos bolos de aniversário! J

abril 25, 2014

25 de Abril sem cravos









Faz hoje 40 anos, nem mais nem menos, que eu, juntamente com mais uns quantos milhões de portugueses vivemos o dia mais estranhamente espetacular e inesquecível de sempre e que ficará para a história! Sendo eu uma miúda de aldeia, longe da capital e alheia a essas grandes movimentações políticas e militares, ficou-me desse dia não a memória do grande feito dos nossos heróis e dos cravos, mas quatro momentos posteriores, ou consequências desse dia e que marcaram grandemente a minha infância.

Regresso do meu tio Joaquim, combatente no ultramar, mais precisamente em Angola. Esse dia foi vivido com pompa e circunstância! Teve direito a excursão familiar rumo a lisboa, ao aeroporto militar onde eu, encavalitada no muro, do alto dos meus 8 anos, assisti a um dos momentos mais emocionantes da minha vida! No final, houve até piquenique num jardim qualquer da cidade, do qual só me resta a memória de uma toalha estendida na relva e muita comida espalhada por cima e muitos rostos emocionados e felizes à sua volta.

Mudança de casa e para o meu pai, de profissão. Com a ocupação das casas, terrenos e quintas dos mais abastados, também nós fomos atingidos. Foi um golpe duro. Não tínhamos casa própria e nem eramos ricos, e tudo o que o meu pai tinha conseguido amealhar com esforço e muito trabalho estava lá, gasto numas pilhas de troncos de madeira e em salários aos trabalhadores que a cortaram e amontoaram, no terreno do lavrador e pronta para ir para a fábrica. Depois da revolta vieram as ocupações desmedidas e sem controlo, onde a palavra liberdade foi distorcida e em que tudo se podia! O que não foi vendido ao desbarato foi destruído. A madeira foi incendiada. As fábricas fecharam. E o meu pai viu-se forçado a começar de novo, mais uma vez e desta feita, na agricultura. Mudamos de terra e de casa. Para mim foi uma aventura, uma aventura inesquecível numa quinta a perder de vista (aos meus olhos de então!), cheia de recantos e encantos por descobrir. Só tive pena de na mudança perder a minha boneca, a minha única boneca e modelo para os meus dotes de pequena costureira!

Eleições. Primeiras eleições livres. E sobretudo, uma grande vitória para as mulheres, que pela primeira vez, todas sem exceção tinham o direito ao voto. A minha mãe estava lá, e na fila ao lado dela estava eu. Foi um grande acontecimento!

Por último, mas não o último dos 4 acontecimentos em ordem cronológica, uma notícia de jornal! A notícia da minha vida. Foi pelos meus olhos que li as palavras lá escritas e a imagem que mostrava umas roupas de muitos anos, manchadas de sangue. Aquilo chocou-me e marcou-me. Os restos mortais de uma mulher morta durante o regime salazarista iam ser mudados para outro local. E na minha inocência perguntei-me a mim própria silenciosamente, se iriam passar com ela ali na nossa estrada, à nossa porta. Ansiei que assim fosse e eu a pudesse ver. Não passou! A estrada foi outra a muitos quilómetros de distância, mais para sul.
Mais tarde, já adulta e a trabalhar em Lisboa, deparei-me com o livro sobre essa minha heroína numa banca de livros usados, lá para os lados da Praça do Comércio. Veio comigo.
E, numa página de um livro astrobiográfico escrito a várias mãos muitos anos depois, lá está o meu tributo a essa grande mulher que marcou a minha infância e me ensinou (mesmo que indiretamente) o que é o 25 de Abril!






Imagem dos cravos tirada daqui

abril 22, 2014

Sol em Touro






























Touro ainda é uma criança, pois só (re)nasceu há dois dias, mas tal como o animal que lhe dá o nome também o signo é uma força da natureza! Conhecido pela sua lentidão, custa a “arrancar”, mas quando o faz, não mais se desvia dos seus objetivos.  O elemento Terra torna-o prático e por pertencer ao meio da Estação, é estável e conservador. É o segundo signo zodiacal, aquele que dá continuidade aos assuntos nascidos dos impulsos do seu antecessor. O Carneiro remexeu a terra, que agora o Touro semeia com a sua paciência e determinação.

Há quem diga que é preguiçoso, mas ele é sim cauteloso e pachorrento. Para quê andar numa correria de loucos se no final tudo fica feito na mesma?! O que importa mesmo, é o bem-estar, seu e daqueles que ama. Tem um ombro sempre disponível para quem precisar de chorar e uma palavra de apoio para dar. Tempo é coisa que sempre arranja quando dele precisam. O Touro é de confiança e um bom ouvinte.

Foge ao máximo de brigas, mas não se atrevam a pisar-lhe os calos! Um touro enraivecido é pior que um furacão, leva tudo à frente! Mas se o souberem levar, é um bonacheirão! É o amigo do peito!


Créditos de ImagemArkadiusz Branicki

abril 21, 2014

Intercâmbio Cultural


 Fim-de-semana passado com muita cor e alegria num intercâmbio cultural, entre portugueses e povos do sul da América. Desta feita foram os grupos das danças tradicionais do Brasil, Paraguai, Colômbia, portugueses emigrados em França e claro, como é óbvio, o rancho folclórico da casa. Paço do Negros foi palco do Festival Internacional de Folclore Cultura e Artes, que se realiza em vários pontos do concelho. Espetáculo de encher o olho, pelo menos a mim, que adoro toda aquela mistura exuberante de cores e movimento. Mesmo em tarde de chuva, não houve como não ficar com a alma em êxtase! E a festa continua…