novembro 18, 2014

A economia cá de casa...




Magia não se faz só com pozinhos de perlimpimpim e nos dias que correm, todos precisamos de ser verdadeiros magos (ou magas) no que toca à economia da casa. E como diz o ditado, “é no poupar que está o ganho”, aqui a formiguinha passou grande parte do dia de hoje na cozinha de volta das panelas e dos chuchus e a “armazenar” para o inverno. Sim, aqueles mesmos chuchus que colhemos no fim-de-semana aqui no nosso quintal e que depois de distribuirmos pela vizinhança e colegas do marido, ainda nos restaram muitos quilos.

Da colheita, parte é agora doce que descansa em frascos para consumo da casa e para distribuir pela família. Os restantes, cortei em cubos que distribuí por saquinhos de plástico, já com a quantidade certa para cada sopa. Usei dois frutos por saco. Vão dar um jeitão nos próximos meses para enriquecer as sopas e é menos uma coisa que terei que comprar. Bendita arca congeladora!

Estou a tentar reduzir o uso de sacos de plástico, mas por vezes dão jeito e esta é uma dessas situações. No final poderei sempre reutilizá-los para guardar e congelar outra coisa qualquer…quem sabe algum outro legume ou fruto de época.  ;)

novembro 16, 2014

O Domingo aqui por casa




Não, não é publicidade ao continente!

É tão simplesmente o resultado da colheita da nossa “pimpineleira”. Hoje, aqui por casa tratou-se de apanhar os frutos, dar-lhes destino e abrir espaço à passagem dos raios solares. Lá se foram os recantos e cantinhos acrescentados pelo gigantesco enleio e em compensação ganhamos em luz. Nós e as nossas verdinhas! 



Agradece a nespereira por finalmente se ver livre do peso bruto que carregava nos seus ramos, cansados e pouco clorofilados.
Agradecem as Marias pelo solzinho de Outono que lhes aquece as penas.
Repartem-se os frutos pela vizinhança e colegas de trabalho.

E eu, encho o congelador para as sopas dos próximos meses e a despensa com mais uns frascos de doce.









As três Marias!!
(a terceira por ser a mais tímida não quis posar para a foto)

 E enquanto isso, a Dona Joana e a Dona Mia dormiam refasteladas no meu cadeirão junto ao calor da lareira!


novembro 15, 2014

Doce de goiaba



Depois das pimpinelas foi a vez do doce de goiaba. Tratou-se de uma estreia para mim, por isso o passo-a-passo foi feito um pouco às “cegas” e na expectativa do que ia sair dali!...


Ingredientes
Goiabas
Açúcar amarelo (cerca de metade do peso dos frutos inteiros)
1 dl de água


Comecei por descascar os frutos aos quais retirei as sementes e cortei em pedaços pequenos. Reservei. No liquidificador juntei as cascas, as sementes e a água. Depois de tudo triturado, coei num passador para separar os caroços da "polpa" extra obtida. Numa panela coloquei esta polpa resultante das cascas e das sementes e os pedaços de fruta reservada anteriormente, ao que juntei o açúcar e deixei descansar até este derreter por completo. 

Desta vez não acrescentei um pau de canela e nem a casquinha de limão para não alterar o sabor natural do fruto. Foi intencional.



Ficou pronto quando fez estrada no fundo do tacho.
O resultado final surpreendeu-me. Ficou muito bom! (pena que as goiabas eram poucas e só deu para dois pequenos frascos). ;)




novembro 10, 2014

Doce de chuchu

 Na sequência do "post" anterior, aqui deixo a receita do meu doce de chuchu (ou pimpinela).

Ingredientes
- 3kg de polpa de chuchu
- açúcar (metade do peso da polpa) *
- pau de canela
- casquinha de limão (opcional)
- nozes partidas em pedaços pequenos

Depois de descascar os chuchus e retirar a semente (inteira de preferência e que se reserva para outra finalidade), ralei-os no robot de cozinha para ficarem em tiras como se faz com a cenoura para saladas. Coloquei a polpa na panela com o açúcar (usei amarelo) e o pau de canela e deixei em repouso umas horas para o açúcar derreter e se transformar numa calda. Para quem gostar do sabor  a limão, este é também o momento de o adicionar.

A cozedura é feita em lume brando. Leva tempo a fazer, mas o resultado final é ótimo! Vou mexendo e só quando faz estrada no fundo do tacho, é que está no ponto. Quanto às nozes (ou amêndoas), junto-as ao preparado a meio, quando o liquido já se evaporou em grande parte e já começa a ter consistência de doce.

* quanto ao açúcar, usei um pouco menos que a quantidade original, (ou seja, do 1,5 kg retirei cerca de 200 gr.), mas faço sempre isso em qualquer doce ou sobremesa.








A semente é esta "coisa" branquinha que aparece aqui na imagem. Retira-se a pele à volta e reserva-se o miolo, que se pode juntar a sopas de legumes e se come inteiro.

Estas sementinhas da tijela, foram comidas hoje ao jantar, num guisado!  ;)



novembro 06, 2014

Pimpinela ou chuchu?


Legume ou fruto?

Segundo consta, a sua origem é atribuída à América Central, no entanto para alguns historiadores esta planta já existia nas ilhas das Caraíbas aquando da descoberta da América pelos europeus.
História à parte, trata-se de um vegetal muito rico em nutrientes, nomeadamente potássio e vitaminas. É de fácil digestão e por ser muito rico em fibras e pobre em calorias, é ótimo para uma dieta saudável.
Pode cozinhar-se de variadas maneiras, mas pessoalmente, só utilizei ainda em sopas e doce (compota)…



Para minha surpresa (e de todos cá de casa!), o fruto que plantamos no ano passado, este ano expandiu-se de tal maneira, com tal rapidez, que cheguei a recear que tudo o mais desaparecesse à sua sombra e sob o seu peso. Os ramos, que nem tentáculos, foram crescendo e trepando por todo o lado fazendo do nosso pedacinho de quintal uma autêntica selva! Não é que eu não goste… O nosso pedaço de verde ganhou ainda mais encanto com os seus novos cantos e recantos. Mas sobreviverá a nespereira que desapareceu debaixo da trepadeira? E o limoeiro?